Brasileiros já pagaram R$ 500 bilhões em impostos neste ano

O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) atingiu a marca de R$ 500 bilhões por volta das 7h de ontem. O valor é uma estimativa do total de impostos pagos pelos brasileiros desde 1º de janeiro. No ano passado, esse valor foi atingido em 16 de abril.

Já em Votuporanga foram R$67,3 milhões arrecadados até ontem. Os cálculos consideram impostos, taxas e contribuições feitas para os governos federal e estadual, além de municípios.

Em agosto do ano passado, quando o impostômetro chegou a marca de R$ 1 trilhão, houve uma ação em conjunto com várias cidades do país para mostrar à população o quanto se gasta em impostos sobre vários itens. Na época, o vice-presidente da Facesp (Federação das Associações Comerciais do estado de São Paulo), Rolando Nogueira, disse que o momento era para escancarar o quanto a população pagava de impostos.

“Já que pago tudo isso de impostos, tenho o direito de cobrar do governo onde está indo o meu dinheiro. Isso meche muito com a sociedade, pois pagamos tanto, e o que falta é esse dinheiro chegar até a população”, falou.

Cálculos do Impostômetro

O total de impostos pagos pelos brasileiros também pode ser acompanhado pela internet na página www.impostometro.com.br. Na ferramenta é possível acompanhar quanto o país, os estados e os municípios estão arrecadando em impostos.

A contagem é feita por meio da ferramenta eletrônica que tem como base para o  levantamento de dados federais, as arrecadações da Receita Federal e da Secretaria do Tesouro Nacional, informações da Caixa Econômica Federal, do Tribunal de Contas da União e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Para as receitas dos Estados e do Distrito Federal, o Impostômetro utiliza-se dos dados do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendário), das Secretarias Estaduais de Fazenda, dos Tribunais de Contas dos Estados e da Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda.

Já a arrecadação de tributos municipais é informada pela Secretaria do Tesouro Nacional, por meio dos municípios que divulgam seus números devido à Lei de Responsabilidade Fiscal e pelos Tribunais de Contas dos Estados.

 

Exemplos

Confira alguns itens com altos índices de impostos, que o consumidor nem sabe que paga:

Cachaça: 81,87%; Caneta: 47.49%; Refrigerante: 46,47%; Cerveja: 55,60%; Água Mineral: 44,55%; Achocolatado: 38,06%; Micro-ondas: 59,37; Cosméticos: 54,88%; Caderno: 34,99%;  Papel Higiênico: 39,94%; Perfume Nacional: 69,13%; Sabão em Pó: 40,80%; Moto 125 cc: 43,81%.

 

 

Isabela Jardinetti

isabela.jardinetti@diariodaregiao.com.br

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password