Botafogo vira sobre o São Paulo e Inter vence Coritiba

O Botafogo se superou na tarde deste domingo no Engenhão, no Rio de Janeiro, e saiu vencedor por 4 a 2 no duelo diante do São Paulo.

Depois de um fraco primeiro tempo, no qual saiu perdendo de 1 a 0, o Botafogo contou com a estrela de Herrera no segundo tempo para conquistar sua primeira vitória no campeonato Brasileiro. Herrera (3), e vítor Júnior, marcaram para o alvinegro, enquanto Jadson e Luis Fabiano descontaram para o São Paulo.

Na segunda rodada do Brasileirão, no próximo final de semana, o Botafogo visita o Coritiba no Couto Pereira, já o São Paulo recebe o Bahia, no Morumbi.

O Jogo – Botafogo e São Paulo fizeram uma partida de dois tempos bem distintos. O alvinegro Carioca começou melhor mas logo esbarrou na forte marcação que a equipe paulista exercia no meio de campo. Mesmo com o domínio da posse de bola – terminou a etapa inicial com 68% – os comandados de Oswaldo de Oliveira tinham muitas dificuldades para penetrar na defesa são-paulina.

Por sua vez, o tricolor paulista abusava dos desarmes no meio e partia em velocidade ao ataque. A dupla Luis Fabiano e Lucas penetrava com facilidade na defesa adversária, e Jadson fazia bom trabalho na armação.

O São Paulo abriu o placar aos 12 minutos. Após boa jogada pela direita, Lucas entregou na medida para Jadson, na altura da marca do pênalti, e o meia bateu de primeira, sem chance para Jefferson.

Mesmo em desvantagem, o Bota não conseguia fazer a bola chegar ao ataque, e Loco Abreu pouco participava do jogo. Na metade da etapa, o ritmo da partida caiu e a torcida carioca começou a protestar.

O São Paulo seguia mais perigoso, e aos 26, Cortez tabelou com Jadson e entrou na área. Livre, o lateral soltou a bomba, mas a bola saiu a direita do gol do Botafogo. O Botafogo tentava pressionar. Aos 35, Renato pegou a sobra da defesa, mas chutou mal. Aos 39, Loco Abreu cabeceia por cima do gol de Denis após receber cruzamento de Márcio Azevedo.

O São Paulo quase ampliou no final do primeiro tempo. Cícero cruzou na cabeça de Lucas aos 44, mas Jefferson operou um milagre e evitou o gol. As maiores emoções da partida estavam, contudo, reservadas para o segundo tempo.

Oswaldo de Oliveira mexeu no time e tirou o apático Loco Abreu para a entrada de Herrera, enquanto o São Paulo voltou com a mesma formação. O argentino fez a diferença logo aos quatro minutos, cabeceando para o fundo das redes ao receber cruzamento de Lucas.

O gol animou o Bota, que passou a dominar a partida e a pressionar o adversário. Aos 8, Herrera acertou um balaço de fora da área, Denis rebateu, Márcio Azevedo aproveitou a sobra mas o goleiro do São Paulo impediu o gol da virada.

O São Paulo responde aos 10. Jadson cobra falta na entrada da área e acha Luis Fabiano livre. O Fabuloso cabeceia mas Jefferson faz grande defesa.

O Bota era melhor mas o São Paulo não se acanhava e chegou ao segundo gol em nova jogada da dupla, aos 16. Jadson mais uma vez achou a cabeça de Luis Fabiano, e desta vez, a bola desviou em Brinner e enganou Jefferson: 2 a 1.

O jogo seguia movimentado, e aos 21, Herrera é calçado na área por Paulo Miranda e o árbitro aponta para a marca do pênalti. O mesmo Herrera cobra com precisão e deixa tudo igual no placar novamente.

O Bota queria a virada e partia para cima do São Paulo. Aos 26, Márcio Azevedo tenta de fora da área e Denis defende. No minuto seguinte, Vítor Júnior cobra falta, a bola desvia em Cícero e entra no canto esquerdo de Denis.

O jogo não caiu de ritmo. Aos 29, Fellype Gabriel cruza para o cabeceio de Herrera, que manda rente à trave esquerda de Denis. Dois minutos depois, o São Paulo responde com mais uma cabeçada de Luis Fabiano, mas Jefferson faz boa defesa.

Na sequência, Maicon dá bobeira na saída de bola, é desarmado por Fellype Gabriel, que dá para Herrera, livre, marcar o quarto gol alvinegro e selar a vitória carioca no Engenhão.

Com 4 a 2 no placar, o Botafogo se fechou e garantiu a vitória até o apito final. O destaque negativo ficou por conta do entrevero entre Oswaldo de Oliveria e a arbitragem, que resultou na expulsão do treinador.

Inter ganha do Coritiba na estreia do Brasileirão

O Inter venceu o Coritiba por 2 a 0, neste domingo, no Beira-Rio, em Porto Alegre, pela primeira rodada do Brasileirão. Jogando em casa, o time gaúcho dominou desde o início, colocando pressão no adversário e conquistou uma boa vitória, com gols da dupla de ataque formada por Dagoberto e Leandro Damião.

Diante de um Coritiba mais preocupado com a disputa das quartas de final da Copa do Brasil – recebe o Vitória na próxima quarta-feira -, o Inter só não conseguiu um placar mais elástico neste domingo porque falhou na hora de finalizar.

A primeira etapa foi dominada pelo Inter, que ficou na maior parte do tempo com a posse de bola no campo do adversário. O time gaúcho abriu o placar já aos 8 minutos, quando Leandro Damião recebeu de Oscar e chutou em cima do zagueiro do Coritiba. A bola voltou para ele, que entrou na área driblando e chutando forte: 1 a 0.

O Inter ampliou a vantagem aos 37 minutos. Depois de entrar na área fazendo tabela com Dátolo, Dagoberto deixou para Leandro Damião, que devolveu para o companheiro chutar forte no canto esquerdo do goleiro do Coritiba: 2 a 0.

No segundo tempo, o Inter continuou pressionando, mas a pontaria não ajudou. Leandro Damião colocou, inclusive, uma bola no travessão. Mas não passou disso. Assim, a vitória do time gaúcho no Beira-Rio foi mesmo por 2 a 0.

“Começamos com o pé direito. Jogos em casa têm que ser assim mesmo”, afirmou o meia Oscar, no final do jogo. “O Brasileirão é assim. Começar em casa com três pontos é fundamental”, avaliou o volante Guiñazu.

Atlético Mineiro vence a Ponte Preta

Com um gol do meia argentino Escudero já aos 45 minutos do segundo tempo, o Atlético-MG conseguiu estrear com vitória no Brasileirão. Mesmo jogando fora de casa, o time mineiro derrotou a Ponte Preta por 1 a 0, neste domingo, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

Até então, o Atlético-MG nunca tinha vencido a Ponte fora de casa pelo Brasileirão, somando seis derrotas e três empates. Diante da revés no Moisés Lucarelli, o time de Campinas deixou o gramado ouvindo vaias dos quase cinco mil torcedores que foram ao estádio.

O primeiro tempo do jogo foi bastante equilibrado, com os dois times criando chances de gols. A Ponte começou assustando com Somália, que cabeceou para grande defesa de Giovanni. Depois disso, o Atlético-MG cresceu em campo e levou perigo em chute de Bernard, que passou raspando a trave de Lauro.

Já aos 45 minutos, Mancini tabelou com André e soltou a bomba para grande defesa de Lauro, que espalmou pela linha de fundo, impedindo o primeiro gol atleticano.

Assim como no primeiro tempo, Ponte e Atlético-MG abusaram da vontade na segunda etapa, mas sem criatividade. O time da casa reclamou bastante do árbitro, que teria deixado de marcar um pênalti aos 27 minutos.

O Atlético-MG passou a tomar conta do jogo nos minutos finais e chegou à vitória aos 45. Ferron afastou cruzamento e Escudero cabeceou quase de fora da área. Ninguém tirou e Lauro não conseguiu fazer a defesa, falhando na jogada: 1 a 0.

A Ponte Preta volta a campo pela segunda rodada no próximo sábado, quando enfrenta o Atlético-GO, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia. Já o Atlético-MG recebe o Corinthians no domingo, no Independência.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password