Bibliotecas da Prefeitura: universo lúdico para crianças e jovens

Três unidades da rede municipal possuem espaços que estimulam a criatividade e promovem vínculo com a comunidade

A Prefeitura de Votuporanga se destaca pela educação de qualidade de primeiro mundo, comparada com países desenvolvidos. A Secretaria de Educação realiza importantes projetos que são referências no segmento, como as Bibliotecas em parceria com o Instituto Brasil Leitor, que se tornam ferramentas lúdicas de aprendizado para crianças e jovens.

Os Centros Municipais de Educação Infantil (Cemeis) “Amélia Lucinda de Jesus”, no bairro Pró-Povo, e “Profª Elza Maria de Souza Figueira”, no Residencial Bortoloti, e o Centro de Educação Municipal (CEM) “Prof. Orozimbo Furtado Filho”, em Simonsen, possuem estes espaços há um ano. Locais que trazem benefícios para os alunos e para a comunidade.

A Biblioteca Jovem, instalada em Simonsen, é a primeira do Brasil. O formato dispõe de uma rica variedade de materiais com os quais os jovens poderão desenvolver o hábito e gosto pela leitura como: acervos de jogos, multimídia, CDs, DVDs, jornais e revistas, além de painéis de grafite e pinturas.

Em um ano de implantação, os resultados surpreendem. Foram 1.000 empréstimos de livros em 12 meses. “A média nacional do Ministério da Educação (MEC) é de um livro a cada três meses. Na nossa escola, a média é de três obras por três meses”, disse a professora responsável pela biblioteca, Glaucia Toniol Brabo Tassi.

A boa estatística é reflexo do trabalho em conjunto dos professores. Os estudantes do Ensino Fundamental I frequentam duas vezes por semana o espaço, realizando leituras de obras. Já os alunos do Ensino Fundamental II ensaiam para musicais, fazem contação de histórias.

Lorena Balduino Estevão Garcia, de 14 anos, é exemplo de como a leitura transforma. A aluna do 9º ano de Simonsen ficou em primeiro lugar no concurso do Festival Literário de Votuporanga (Fliv) entre os estudantes da rede municipal. Com o título “Lembranças que o tempo não apaga”, Lorena falou sobre a história do Distrito de Simonsen, usando como personagem sua avó com mais de 70 anos. “Os livros me ajudaram a escrever. Desde que implantou a Biblioteca, passamos a ler mais e, consequentemente, a escrever melhor”, afirmou.

Para a diretora Vera Lúcia Barela Namba, a Biblioteca se tornou um lugar para a comunidade. “O envolvimento cultural é muito grande. Os alunos trazem nomes de livros para os amigos, as famílias. Temos todos os recursos tecnológicos como DVD´s, CD´s, de maneira com que todos possam desfrutar”, disse.

Diferentemente de Simonsen, as Bibliotecas dos Cemeis “Amélia Lucinda de Jesus” e “Profª Elza Maria de Souza Figueira” são de Primeira Infância, destinadas a crianças de até seis anos.

A professora do Pré I, Natalia Cesar, reconhece a importância do local para a educação. “Fazemos contação de histórias e os alunos gostam muito”, disse.

A diretora da unidade “Profª Elza Maria de Souza Figueira”, Kamila Karoline Jianoto Ferreira, afirmou que o espaço é usado para atividades livres, quando os alunos têm mais contato com os brinquedos e também de suporte para as aulas. “Contextualizamos de forma lúdica os assuntos abordados em salas de aula, como formas, cores, números”, destacou.

A Biblioteca da escola é fruto de uma parceria com a empresa Facchini. “Os empresários podem se tornar parceiros da administração, através de lei de dedução do Imposto de Renda. Sem dúvida, as Bibliotecas somam ao desenvolvimento de nossas crianças, utilizando o poder da leitura como transformador da sociedade”, finalizou.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password