“Bandido do capacete” continua a fazer vítimas em Fernandópolis

Mesmo com o empenho das polícias Civil e Militar, o clima de insegurança segue aumentando na medida em que novos roubos acontecem no comércio fernandopolense e da região. Na última semana, mais dois endereços receberam a visita indesejada do já famoso “Bandido do Capacete”.

ALUCINADO

Mesmo com o empenho das polícias Civil e Militar, o clima de insegurança segue aumentando na medida em que novos roubos acontecem no comércio fernandopolense e da região.

Na última semana, mais dois endereços receberam a visita indesejada do já famoso “Bandido do Capacete”.

Alucinado os casos. Rapaz alto, encorpado, branco, armado com um revólver cromado, de capacete, camiseta cinza e com touca “ninja”. Novamente, apenas dinheiro foi levado e a vítima ressaltou o estado de intensa agitação do bandido, que parecia “alucinado” ou “drogado”, segundo declarações.

MUDANÇA

Quase que no mesmo instante em que a PM realizava o primeiro contato com a vítima, uma nova ocorrência de roubo foi irradiada, desta vez no Bairro Santa Filomena.

O novo fato aconteceu na Rua Osvaldo dos Santos, só que em uma residência, minutos depois do primeiro crime, o que causou estranheza aos policiais, uma vez que o indivíduo vinha atuando apenas no comércio.

Conforme declarações das vítimas, a mesma descrição foi tomada pelos policiais, onde o bandido adentrou ao portão da casa e rendeu a primeira vítima, que falava ao celular. Agitado, o homem tomou o aparelho das mãos da dona da casa e quando estava prestes a sair foi surpreendido pela chegada de dois outros familiares. Sem perder tempo, rendeu os dois homens e anunciou o assalto, exigindo-lhes as carteiras. Depois de consumado o intento criminoso, o bandido correu até a esquina e conseguiu fugir num carro branco, conforme informações de vizinhos.

ROTINA

Na semana anterior, na sexta-feira, três ocorrências de roubo foram registradas no comércio, onde testemunhas e vítimas apontam para o mesmo suspeito, segundo suas descrições.

O chamado “modus operandi”, segundo o jargão policial tem sido o mesmo, combinando características físicas do autor, vestimentas e armamento utilizado. A onda de roubos ao comércio já se estende por quase dois meses em Fernandópolis, havendo também alguns registros em cidades vizinhas.

Segundo dados colhidos pela equipe do JI, tanto a Polícia Civil, quanto a Militar têm trocado informações sobre a possível identidade do “Bandido do Capacete” e para ambas, a prisão do meliante é mera questão de tempo.

Jornal do Interior

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password