Banco de Leite Humano de Votuporanga mantém atendimentos, mas sem estoque

Responsável Técnica Maria Alice Guimarães Riva explica que a quantia pasteurizada na semana, consome na mesma semana e que seria preciso de três vezes o que há para conseguir manter estoque

 

“Precisamos ter mais mulheres amamentando para ter mais leite sobrando e menos bebês precisando de leite humano”, essa é ênfase que a responsável Técnica do Bando de Leite Humano da Secretaria Municipal de Saúde, Maria Alice Guimarães Riva, estabelece diante da importância e necessidade das doações de leite materno.

 

Em Votuporanga, o número de litros de coleta de leite aumentou em comparação ao ano de 2012, no entanto, a relação ainda preocupa, visto que os atendimentos estão sendo realizados sem estoque algum. “O Banco de Leite Humano de Votuporanga no momento segue sem estoque, ou seja, o que pasteuriza na semana, consome na mesma semana. O estoque está muito abaixo da necessidade, precisaríamos de três vezes o que temos para conseguir mantê-lo”, explica Maria Alice.

 

Neste ano, até outubro, 327 litros de leite foram coletados, que correspondem a 484 mães/bebês, já em 2012, foram 292,3 ml litros coletados, sendo 552 mães/bebês, enquanto em 2011, 408 litros foram coletados de 527 mães/bebês. Na relação mensal, em alguns meses, por exemplo, o número de receptores foi maior que o de doadores, no entanto, a média entre leite coletado e distribuído ainda pôde ser mantida, assim como é possível verificar na tabela:

 

 

Importância

A responsável Técnica do Bando de Leite Humano explica que o leite humano é muito importante para todos os recém-nascidos. “Ele alimenta e protege o bebê contra diarréia, infecções respiratórias, diabetes e alergias, porém, existem mães que infelizmente têm dificuldades no início da amamentação, principalmente mães de bebês prematuros. Para estas situações, temos o Banco de Leite Humano que pode orientar as mães quanto às dúvidas relacionadas à produção de leite. Além disso, a unidade recebe, pasteuriza e distribui o leite doado para as crianças que necessitam.”

 

Doadoras

Podem doar as mães que não possuam nenhuma doença infectocontagiosa, não faça uso de medicamento que passe pelo leite e que, se for fumante, que fume menos de 10 cigarros por dia. “A doadora é orientada a retirar o leite em sua residência, após a mamada de seu bebê. São fornecidos frascos esterilizados pelo BLH, onde o leite permanecerá congelado, por no máximo 10 dias até que um funcionário do BLH busque o leite nos dias combinados.”

Maria Alice afirma que não existem riscos de transmissão de doenças nesse processo de coleta e doação. “As doadoras são selecionadas para a doação e é feito um controle rigoroso de qualidade físico-químico e bacteriológico do leite submetido a um processo de pasteurização.”

 

Outro aspecto é que mesmo com a coleta, não faltará leite para o filho da doadora. “O volume de leite produzido guarda uma relação direta com a sucção da criança, observando relação similar à lei da oferta e da procura. Portanto quanto mais a mama é esvaziada, maior será o volume de leite produzido.”

 

O leite coletado é direcionado para as UTIs Pré-Natais da Santa Casa de Votuporanga e Jales. O horário de funcionamento do Branco é das 7h às 17h. Outras informações e o contato para agendamento pode ser feito pelo telefone (17) 3405 9787, ramal 9711.

 

VOTUNEWS

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password