Aventura: votuporanguenses viajam até o Uruguai de moto

Realização de um sonho, esse é o mesmo sentimento de quatro amigos que encararam uma viagem de exatos 5.089 Km percorridos em cima de uma moto. Eles saíram no dia 02 desse mês e retornaram no dia 12. Sinomar Pereira Candido, Carlos Roberto Marcolino, Ildo Mateus, Élcio Sette e Adriano Faria, organizaram a expedição durante um ano. Apenas Adriano que não conseguiu completar a missão porque teve que retornar por conta do trabalho, por isso seguiu viagem com os amigos até Barra Velha – Santa Catarina.

Os amigos contaram para nossa reportagem como foi a experiência até chegarem em Punta del Este, no Uruguai. Eles seguiram a viagem sem programação de onde dormir, almoçar ou jantar. O objetivo era chegar ao Uruguai, claro que, conhecendo lugares vistos apenas por fotos ou por ouvir falar. Durante todo o trajeto eles faziam paradas a cada 200 km. O investimento por pessoa para realizar o sonho foi de R$ 2500,00 reais, distribuídos entre combustível, alimentação e hospedagem.

Toda viagem tem seus problemas e eles acabaram enfrentando alguns, um deles foi o tombo de Sinomar numa curva, porém teve ferimentos leves. “Acho que foi porque percorremos muitas horas sem dormir e havia muitas curvas”. Outro problema que eles tiveram foi GPS que não conseguiu traçar a rota correta entre a cidade de Osório e São João do Norte. “Neste ponto havia um estrada que corta o mar e o GPS não localizou, isso dificultou um pouco” disse Sinomar.

Apesar disso, eles relataram que a experiência foi gratificante, Ildo Mateus ainda impressionado com a viagem disse. “A gente se preparou o ano todo para isso e poder realizar esse sonho não tem preço. Viajar de moto é fazer parte da paisagem. Cada um de nós tem que agradecer muito cada esposa pelo apoio, sem elas não teríamos conseguido”.

Segundo Élcio Sette, a viagem de moto proporciona conhecer lugares que só é possível dessa forma. “Já fui para Balneário Camboriú de carro e quando fui de moto vi paisagens que parecia que não havia notado da outra vez, é como se fosse outra viagem. A amizade que a gente cria também é outro ponto forte dos motociclistas, é muito diferente quando a gente para num posto de combustível de carro, por exemplo, as pessoas nem se cumprimentam, mas se for de moto, todo mundo começa a conversar, puxa assunto”.

Carlos Roberto Marcolino, mais conhecido como Marcolino, é mecânico e conta como foi a experiência. “É muito bom saber que se a moto der algum problema eu saberei arrumar, isso dá um pouco mais de segurança, ainda mais numa viagem longa como essa”. Assim como Élcio, Marcolino acha que viajar de moto proporciona um elo de amizade muito forte. “A cultura é bem diferente, um ajuda o outro. Nessa expedição a gente conheceu muitas pessoas, onde a gente parava alguém vinha conversar nos dando dicas”.

Mesmo não completando toda a viagem, Adriano Faria que percorreu 2100 km, diz ter conhecido lugares maravilhosos. “Fomos a algumas serras que são consideradas pontos turísticos de motociclistas, conhecemos lugares lindos, com muitas curvas. Descemos a Serra do Rastro da Serpente, foram mais de 1000 curvas em 260 km”.

Para 2017, o grupo ainda não tem local definido para um novo destino, porém outro sonho é conhecer Oiapoque.

Folha Regional

Objetivos da viagem:

– Ver o Navio Altair naufragado desde 1976, na praia do Cassino, em Rio Grande (colocar um certinho, tipo, deu certo)

– Entrar no Uruguai

– Conhecer Punta del Este

– Conhecer a ponte que liga Punta del Este a La barra

Dicas importantes:

– Não utilize somente o GPS porque alguns locais não estão registrados na rota do satélite

– Leve um mecânico junto, com uma viagem longa, as chances de dar problema na moto são grandes

– Leve um kit de ferramenta com: câmara de ar, vacina de pneu, bomba para encher pneu

– Leve pouca bagagem

– Respeitar o limite de velocidade

– Respeitar a limitação da sua moto e do seu corpo

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password