Auxiliar de necropsia pode vir para a cidade

Desde o dia 1º de junho, Votuporanga não conta mais com auxiliar de necropsia no IML (Instituto Médico Legal) da cidade. Durante a sessão da Câmara de ontem, o vereador Eliezer Casali informou que conversou com o deputado Carlão Pignatari e o mesmo informou que falou com o secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre Moraes, pedindo uma posição sobre o cargo vago.

O vereador contou que, com a demora da vinda de um novo profissional, mesmo tendo aprovados em concurso do estado, o município resolveu fazer a contratação emergencial de um. “Mas como essa é uma responsabilidade do estado, a Prefeitura não pode simplesmente contratar, então um processo para convênio com o estado foi encaminhado para São Paulo para dar um fim nisso. O Carlão me disse que teve uma reunião definitiva com o secretário Alexandre de Moraes, e ele falou que vai se inteirar do processo e de pronto liberar esse convênio e evitar que esse transtorno continue na cidade”, contou.

Sem o auxiliar de necropsia em Votuporanga, os corpos que precisam passar por exame de autópsia são levados para São José do Rio Preto, o que causa muitos transtornos aos familiares que esperam às vezes mais de dez horas para a liberação do corpo para fazer velório e sepultamento.

“Não temos ninguém para fazer a necropsia, nem médico temos, mas se tem o profissional, ele faz o procedimento e um médico assina o laudo”, disse Eliezer.

 

IML

Eliezer disse também que Carlão fez o pedido de verbas para a construção de um prédio próprio do IML na cidade. “O doutor Alexandre disse que levará esse pleito ao Geraldo Alckmin, para que inclua-se no orçamento do ano que vem para a construção da sede própria do IML em Votuporanga”, contou.

Créditos da matéria: Isabela Jardinetti – Jornal A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password