Ataque de arraias assusta visitantes de ‘prainhas’ de Ilha Solteira

Pescadores e turistas que visitam as “prainhas” da região de Ilha Solteira (SP) estão assutados por causa do ataque de arraias. Os casos têm sido registrados nos rios Tietê e Paraná.

 

Com a alta dos rios, o movimento de pescadores e turistas é mais frequente nestes locais e, em muitos deles, não há placas de orientação sobre o ataque desse tipo de peixe.

Ataque de arraias assusta visitantes de 'prainhas' da região de Ilha Solteira (Foto: Reprodução/TV TEM)
Mulher foi atacada por arraia durante pescaria em
prainha de Ilha Solteira (Foto: Reprodução/TV TEM)

A escriturária Marisa de Oliveira do Nascimento pescava na água da prainha de Itapura quando foi atacada por uma arraia. Ela foi ferroada no pé esquerdo. “Senti que furei o pé e achei que era caco de vidro. Estava sangrando e saí da água porque a dor começou a subir e é uma dor muito forte, inexplicável. Nunca tinha sentido tanta dor”, afirma.

Ela só soube que havia sido ferroada por uma arraia ao procurar um posto de saúde. Segundo Marisa, no começo parecia um machucado pequeno, mas a ferida ficou bem maior em poucos dias. Para controlar a infecção os médicos passaram antibióticos e repouso. Mesmo assim ela precisou passar por cirurgia. “Depois de 15 dias tive que ir para o centro cirúrgico para cortar a parte necrosada e faço curativo todos os dias”, afirma.

Ataque de arraias em Ilha Solteira (Foto: Reprodução/TV TEM)Morador também foi atacado e perdeu movimento
de um dos dedos (Foto: Reprodução/TV TEM)

Há quase um ano, o aposentado Elias Medeiros Pacheco também foi ferroado por uma arraia. Ele foi atacado quando tentava tirar o anzol que ficou enroscado no peixe. O tratamento foi longo, mas mesmo assim ele perdeu o movimento de um dos dedos. “Eu e mais dois amigos pescávamos e eu já havia pego duas arraias, na terceira fui tentar ficar com o anzol, mas ela foi mais rápida que eu e me ferroou.”

O pescador Luiz Carlos dos Santos diz que é preciso ter cuidado porque não há placas indicativas sobre a existência de arraias no local.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Itapura, havia placas no local que alertavam sobre os ataques de arraias e piranhas, mas a sinalização sumiu. A prefeitura informou que providenciará novas placas para colocar na prainha.

Arraias atacam na região de Ilha Solteira (Foto: Reprodução/TV TEM)Bióloga explica que arraias atacam para
se defender (Foto: Reprodução/TV TEM)

A bióloga da Unesp Jumma Miranda Chagas diz que as arraias atacam para se defender e que as ferroadas são feitas com um aguilhão, que parece um espinho, e fica perto da cauda do peixe. “Elas são venenosas e provocam dor extrema”, afirma.

Ela diz que as arraias não são da região, mas há registros delas por aqui há mais de 30 anos. Com frequência, um hospital de Ilha Solteira recebe turistas e pescadores vítimas de ataques. O clínico geral Emanuel Zenizi Rodrigues diz que a partir do momento que a pessoa leva a ferroada tem de lavar o máximo que puder e comprimir para sair o veneno e, em seguida, emergir dentro de água quente para neutralizar o veneno”, ensina. G1

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password