Artista se inspira na cidade

Votuporanguense de coração, o artista plástico Smile Delacouer está de volta a terrinha das brisas suaves. Smile fica na cidade até amanhã e está visitando locais públicos em busca de inspiração para novas obras, motivadas pela história que construiu em Votuporanga. Depois de anos em Campinas, ele chegou na sexta-feira em Votuporanga para rever os amigos. Nascido em Campinas, ele veio para Votuporanga com um dia de vida. Aos 21 anos, voltou para Campinas, mas não esqueceu a cidade das Brisas Suaves. “Vim rever os amigos, o que é muito bom. Fico feliz de saber que cada um foi atrás dos sonhos”, disse. Ele relembra com saudosismo sua infância em Votuporanga. “Em cada canto da cidade, lembrei da minha história, revi muita coisa”, contou para a reportagem. Ele esteve no Centro de Convenções, em várias praças e na Concha Acústica, que foi recentemente revitalizada. “A Concha mudou muito”, lembrou.

Referências

Entre os amigos votuporanguenses, o artista plástico Gustavo Rapassi é uma referência. “Ele foi meu professor de artes, no ateliê. Também tenho outras inspirações como Edgard Andreatta, Deco D´Antonio, entre outros”, afirmou.

Paixão por cavalos

Smile Delacouer tem uma particularidade. Suas artes retratam cavalos de diferentes maneiras. “A imagem não é regionalizada, mas transcendental, mais para o lado sombrio. Eu faço uma analogia do animal com a sociedade envolvendo a liberdade do ser humano e seu despertar”, contou.

Obras na cidade

O artista tem duas intervenções em Votuporanga. São dois muros, um fruto de parceria com Jefferson Martinelli em uma casa e outro no ateliê do Rapassi. O desenho era de um cavalo e de um policial com bexigas na mão. Entre as imagens, a frase de Clarice Lispector: “Liberdade é pouco, o que eu quero ainda não tem nome”. A pintura foi apagada pelo proprietário, que não aprovou a obra dos artistas plásticos.

Exposições

Smile Delacouer fez 25 exposições e intervenções em casas noturnas. Também gosta de participar de vernissage, onde fala um pouco do seu trabalho. Atualmente busca um local para sua nova obra: “33 cavalos – parte II”. “Em 2014, completei 33 anos e decidi fazer uma exposição”, disse Smile. Para o artista, os trabalhos são uma forma de sensibilizar as pessoas. “Para mim, é a linguagem do amor. Arte deve ser feita com o coração”, afirmou. Literatura em quadros Uma paixão de Smile Delacouer é a literatura em quadros. “Por meio de uma sequência de ilustração, consigo contar uma história com início, meio e fim”, disse.

Evento

Jefferson Martinelli busca trazer uma exposição na cidade do amigo. “Queremos que a população conheça os artistas locais e saiba que eles estão fazendo seu nome em todo o Brasil”, disse.

Andressa Aoki
andressa.aoki@diariodaregiao.com.br

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password