Apenas 74,23% tomam a vacina na cidade

Município só atingirá a sua meta caso o Ministério da Saúde prorrogue a campanha, já que as unidades de saúde não funcionam amanhã

Votuporanga ainda não atingiu a meta de vacinar 80% das pessoas vulneráveis às complicações da gripe. A campanha nacional segue até a sexta­-feira, 5 de junho, e até o momento, 74,23% do público alvo, formado por 21 mil pessoas, foram até as unidades de saúde. A cidade só atingirá a sua meta caso o Ministério da Saúde prorrogue a campanha, já que as unidades de saúde não funcionarão amanhã.

As crianças são as mais desprotegidas, somente 52,7% tomaram a vacina. Os trabalhadores da saúde imunizados somam 82,4%, as gestantes 61%, as puérperas 99,24% e os idosos 79,67%.

A 17ª campanha nacional de vacinação contra a gripe teve início em 4 de maio, com previsão de encerramento no dia 22 de maio. Para atingir a meta de imunizar 80% do público-­alvo, o Ministério da Saúde prorrogou a campanha até 5 de junho.

A definição dos grupos prioritários segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), além de ser respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde em 2015 protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela OMS para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). A vacina contra influenza é segura e também é considerada uma das medidas mais eficazes na prevenção de complicações e casos graves de gripe. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

Como o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação, o ideal é realizar a imunização antes do início do inverno. O período de maior circulação da gripe vai do final de maio até agosto.

Para receber a dose, é importante levar o cartão de vacinação e o documento de identificação. As pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais também precisam apresentar prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica. Leidiane Sabino/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password