ALL tem 15 dias para divulgar laudo final

A concessionária ALL tem até o próximo dia 20 para entregar relatório final apontando as causas do descarrilamento do trem que matou oito pessoas no Jardim Conceição no último dia 24 de novembro. O prazo foi estabelecido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

“O laudo de apuração das causas do acidente ainda não foi finalizado. Diante da necessidade, alegada pela ALL, de contratação de empresa de consultoria para auxiliar nesses trabalhos, foi autorizada a apresentação do respectivo relatório até o dia 20/1/2014”, afirma nota da assessoria de comunicação, divulgada na última quinta-feira.

Sem o relatório, segundo a agência, ainda não é possível identificar causas e culpados pela tragédia. A ANTT afirma também que as medidas preventivas tomadas após o acidente, como a restrição da velocidade em 25 km/h no trecho urbano de Rio Preto, continuam em vigor e não têm data para acabar.

“Após acompanhar os trabalhos de recuperação do trecho atingido pelo acidente, foi autorizada a retomada do tráfego em regime de operação assistida (com maiores cuidados de supervisão). Em complementação, foram determinadas, e estão em andamento, diversas medidas técnicas que visam sensíveis aprimoramentos na qualidade do trecho ferroviário em questão”, menciona a nota.

Segurança

Enquanto as investigações não são concluídas, são adotadas medidas de segurança propostas em um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado pela ALL e vítimas do acidente, como a troca de dormentes ao longo de um quilômetro do local da tragédia e a instalação de um semáforo com cancela na passagem de nível.

Além disso a ALL está fazendo a análise da qualidade do solo no entorno dos trilhos ao longo do trecho urbano da ferrovia. Ao todo serão 36 pontos verificados. Na última sexta-feira, técnicos da empresa Sondosolo, de Campinas, contratada para o serviço, coletavam amostras do solo próximo ao local da tragédia. O objetivo é identificar possíveis desníveis e falhas que podem contribuir para deslizamentos. Ninguém da empresa quis falar com a reportagem.

Ainda em relação ao TAC, a ALL informou que está cumprindo todas as ações estabelecidas pela ANTT e dentro do prazo determinado pelo órgão regulador. Sobre investimentos para 2014, a concessionária diz que o planejamento ainda não está pronto por que “é fechado sempre no mês de janeiro”. Já sobre o laudo do acidente, diz que os trabalhos de investigação ainda não foram concluídos.

Para quem passa todos os dias pelo local do descarrilamento, a instalação do semáforo ajuda e a reconstrução da passagem de nível destruída pelo descarrilamento, mas é pouco. “O certo é tirar o trem da cidade, mas já que isso não acontece aqui (no Jardim Conceição) deveriam fazer um viaduto para o trem passar por baixo”, diz o construtor Alain Antonio dos Santos, 49 anos. Em média, por dia, cerca de 18 composições passam pelo trecho urbano da ferrovia em Rio Preto.

O Diário também tentou falar com a Polícia Federal e a Polícia Civil de Rio Preto para saber o andamento das investigações sobre o acidente, mas devido ao recesso de fim de ano não conseguiu contato.

Reunião vai discutir ALL

A falta de manutenção e investimentos na linha férrea fez o governo federal agir contra a ALL. Nos últimos quatro anos a concessionária foi multada 256 vezes por irregularidades na malha ferroviária do país, que tem 13 mil quilômetros de extensão.

Os valores somam R$ 111 milhões, mas apenas 1% foi pago. O restante é discutido judicialmente. Por causa disso, amanhã, a cúpula do Ministério dos Transportes, em Brasília, por determinação da presidente Dilma Rousseff, fará reunião para discutir a situação da concessionária.

O Ministério dos Transportes informou que o encontro será às 18h, mas não confirma se a ALL e o acidente ocorrido em Rio Preto estarão na pauta. A ANTT e a concessionária também não confirmaram participação.

 

Guto Pereira – Diário da Região

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password