Agricultor vê sítio ser transformado em lixão na região

Restos de construção, galhos, um tênis, lâmpada, sofá, cobertor, pedaços de plástico, lata de cerveja e até um vaso sanitário e camisinha. Todos estes objetos foram encontrados no entulho jogado ao lado da nascente do córrego que passa dentro da propriedade rural do agricultor Vanderlei Cirino Leite, de 62 anos, no bairro rural da Corredeira, em Cosmorama. A reportagem é de André Nonato, de O Jornal.

O produtor rural, que mora com a família há mais de 40 anos no local, acusa a Prefeitura de Cosmorama pelo entulho jogado dentro da erosão surgida no início do ano em seu sítio, após uma época de chuvas pesadas que rapidamente abriram o buraco próximo a uma APP (Área de Preservação Permanente).

Ao notar que o buraco crescia cada vez e mais e estava chegando próximo ao curral onde abriga as criações de animais, Vanderlei resolveu procurar a Polícia Ambiental. O produtor rural então reuniu seus documentos e foi até a Cati (Coordenadoria de Assistência Técnica Integrada), que após analisar a erosão, realizou um projeto que visava o desvio da água do córrego para tampar o buraco.

O caso então foi passado para a prefeitura, que segundo a lei, é obrigada a arcar com a realização do aterramento de erosões em pequenas propriedades rurais. Na primeira visita até a prefeitura, Vanderlei logo viu que não teria vida fácil.  “Quando eu fui até o prefeito Nei (Claudinei Monteiro Gil) para explicar a situação, ele me disse que não iria fazer”, conta Vanderlei.

O sitiante então disse que levaria o caso ao Ministério Público, o que fez o prefeito mudar de ideia. Há cerca de 60 dias, o maquinário da prefeitura começou a realizar o serviço, mas despejando dentro do buraco entulho ao invés de terra. “Eu não estava próximo quando eles começaram a descer o lixo, depois é que fui ver, pois se não nem deixaria eles entrarem”, afirma o agricultor.

Vanderlei então ligou na prefeitura para perguntar se eles não completariam o serviço ou iriam retirar o lixo colocado lá e ouviu da boca do prefeito uma resposta negativa. “Ele disse que fizeram até demais”, explica.

A família do produtor rural então procurou novamente pela a Polícia Militar de Cosmorama e a Polícia Ambiental para denunciar o trabalho feito como crime ambiental. Um exame pericial também foi realizado pela Polícia Técnico-Científica. Vanderlei procurou um advogado que entrou com uma ação contra a prefeitura no Fórum de Tanabi. “Espero uma indenização por isso”, explicou o agricultor.

Para Vanderlei, a falta de vontade do atual prefeito em sanar o problema da erosão em seu sítio provavelmente seja devido a uma “rixa política”, já que nas últimas eleições a família do agricultor apoio o candidato derrotado. “Para mim política acaba no dia da eleição, e pelo visto para ele não é bem assim”, ressalta o agricultor.

Segundo o agricultor, o lixo despejado em seu sítio é oriundo de uma limpeza realizada no bairro Vila Nova, distante três quilômetros da propriedade. Por causa deste entulho, ele afirma já ter perdido dezenas de carneiros, porcos, e até uma vaca leiteira. “Eles comem o plástico”, explica.

Vanderlei diz querer somente que a situação se resolva o mais rápido possível. “Queria apenas que ele fizesse o favor de retirar esse entulho daqui imediatamente. Quanto antes melhor”, completa o agricultor.

Procurada pela reportagem, a procuradora da Prefeitura de Cosmorama afirmou que enviaria uma nota de esclarecimento sobre o caso, mas até o fechamento desta edição, a resposta não havia sido recebida pela redação. Já de acordo com a Polícia Ambiental, a notificação com multa seria enviada para a prefeitura ainda esta semana. André Nonato – O Jornal)

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password