Acusados de matar médico Hedilon vão a júri popular

A juíza Melissa Bethel Molina de Lima, da Comarca de General Salgado, mandou para júri popular Aparecido Dias Barboza, 66 anos e a mulher dele Erika Patrícia Cruz, 37 – o casal acusado de sequestrar e assassinar cruelmente o médico oftalmologista Hedilon Basílio Silveira Júnior. O julgamento no Tribunal do Júri está marcado para acontecer no início do ano 2017. Porém, a data ainda não foi agendada.

Além do casal, Alessandro Pires Mateus, o “Lê”, e Julio Cezar Queiroz Monteiro, “Boi da Roça ou Nenê” foram denunciados e estão respondendo pelo crime.

A juíza entendeu o crime como Homicídio Qualificado e Cárcere Privado, praticado de forma cruel. Neste caso, a pena para os crimes varia entre 12 a 30 anos de prisão.

O crime

Em 2013, o médico foi vítima de emboscada ao chegar em sua fazenda, em General Salgado, pelos próprios moradores. Hedilon foi raptado, morto a tiros e golpes de facão. O casal e os outros dois envolvidos vão responder presos pelo assassinato. Eles estão à disposição da Justiça.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password