Acusado de matar missionária Simone Lopes vai a júri popular

A Justiça determinou que o ex-presidiário Francisco Lopes, de 64 anos, seja julgado pelo Tribunal do Júri pelo assassinato da missionária Simone Moura Facini Lopes, em março de 2017. O crime ocorreu em uma chácara no Jardim Planalto, zona Norte de Rio Preto. Audiência será marcada para este ano, mas ainda não há uma data definida.

Após cumprir pena por crimes sexuais cometidos em outras cidades, Francisco mudou-se para Rio Preto e passou a frequentar a mesma igreja evangélica de Simone. Por missão religiosa, a jovem passou a visitar o acusado com meta de alfabetizá-lo por meio da Bíblia, mas o acusado acabou se apaixonando pela missionária.

Quando Simone anunciou que iria suspender as visitas, Francisco matou a jovem. O acusado chegou a fugir, mas logo foi preso pela Polícia Militar com ajuda da população.

Pela investigação da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Rio Preto ficou comprovado que Francisco revelou que além de ter atingido Simone com golpes de marreta também teria esganado a moça.

O advogado de defesa do acusado, João Dias, tentou evitar que o cliente fosse submetido ao júri com argumento de que o réu tenha insanidade mental, mas foi recusado pela Justiça.

Pelo homicídio, Francisco será julgado por um júri de sete pessoas a ser convocadas pela Justiça. A audiência, que ainda não tem data estabelecida, deve ser uma das mais concorridas, devida a repercussão do caso.

Marco Antonio dos Santos – diarioweb.com.br

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password