Ações geram ‘prejuízo’ ao tráfico de entorpecentes

Ações realizadas por policiais civil e militar apreenderam, somente nos últimos 30 dias, aproximadamente 14,5 quilos de entorpecentes em Votuporanga. Ao todo, foram oito flagrantes que resultaram em 16 encaminhamentos para delegacias, sendo que 11 ainda permanecem detidas, entre elas, dois menores.

Em uma única semana, policiais da Força Tática e Rocam (Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas) apreenderam, no mesmo local, quase seis quilos de maconha no bairro Estação. (Leia mais abaixo).
Já policiais da Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes), durante operação de combate ao tráfico de droga, recolheram mais de cinco quilos de maconha e quase um quilo de crack em uma única investida contra um traficante local, no bairro São Cosme. O acusado acabou fugindo e permanece foragido.
Dias antes, a especializada também apreendeu um grupo de seis pessoas ligadas ao tráfico, todas da mesma quadrilha. Um dos homens detidos faz parte de uma facção criminosa, que age na capital do Estado. Além das pessoas presas, foram retiradas das ruas aproximadamente 950 gramas de crack.

Prejuízo ao tráfico
Em toda apreensão realizada pelos policiais, é questionado o valor de venda de cada porção do entorpecente. Os preços variam entre R$10 a R$15. Nas últimas quatro semanas, foram apreendidos aproximadamente 12,5 quilos de maconha, 2,1 quilos de crack e pouco mais de 200 gramas de cocaína. Quando calculado todo o valor das drogas apreendidas, o prejuízo ao tráfico chega a ser superior a R$16 mil.

Bairro Estação
Dos oitos flagrantes realizados pela Civil e Militar,o que chama atenção é que pelo menos três apreensões foram feitas no mesmo local, no bairro Estação, mais precisamente na rua Doutor Joaquim Franco Garcia. 
Neste local, existe um imóvel abandonado e enfrente existe um terreno baldio. Os traficantes usam a casa para se abrigar e o terreno como esconderijo para entorpecente. Eles normalmente fazem rodízio entre eles na entrega da droga. Ora uma pessoa entra no terreno e faz a entrega da droga, ora outro.
A Polícia Militar, só na semana passada, realizou duas apreensões, que somadas, ultrapassam seis quilos de maconha. Semanas antes, policiais da Dise flagraram duas pessoas com 126 porções de cocaína e oito de maconha.
O local é constantemente alvo de investidas policiais. Nas proximidades, existe m instituições de ensino e religiosa.

Drive thru
Para agilizar a venda do entorpecente e chamar menos atenção, os traficantes adotaram a modalidade de venda ‘drive thru’. O usuário passa e informa o entorpecente que deseja. Ali é informado sobre o valor. Em seguida, a pessoa deixa o local e ao retornar, o traficante já tem em mãos a droga. O pagamento é feito e o usuário deixa o local. Não é preciso nem  sair do próprio veículo.
Outro motivo para esta modalidade é evitar flagrantes. Pois o traficante fica apenas com poucas porções em seu poder. Se a polícia realiza abordagem, ele estaria com uma ou duas porções da droga e alega ser usuário.
Normalmente quando policiais realizam o flagrante, sempre encontram sacolas com grandes porções nas proximidades da ação. 

Último flagrante
Na tarde da última sexta-feira, policiais da Força Tática e Rocam  apreenderam dois menores de idade e um jovem de 20 anos, no bairro Estação. Em poder do trio, foram localizadas duas sacolas com 208 porções de maconhas, que pesadas, somaram quase 3,7 quilos de entorpecentes.
A ocorrência foi apresentada no plantão policial, onde a delegada plantonista Edilce Soares de Oliveira, ao término do flagrante, optou por liberar o trio. Um dos menores detidos já tinha três passagem por tráfico.
Agora, os três envolvidos, que já são conhecidos nos meios policiais por tráfico, responderam pelo crime em liberdade. Alex Pelicer A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password