Em três anos Votuporanga registra mais de quatro mil novos postos de trabalho, diz pesquisa do CAGED

Votuporanga fechou o ano de 2012 com um crescimento de empregos em 6,68%, correspondentes à geração de 1411 vagas preenchidas. Em 2011, foram criadas 1.271 novas vagas de trabalho. Até dezembro de 2012, eram 22.779 pessoas com carteira assinada no município.

São vários os programas de inclusão ao mercado de trabalho que existem na cidade, alguns municipais e outros em parceria com governos estadual e federal, bem como entidades municipais. Dentre estes, destacamos o Time do Emprego (Governo do Estado), os cursos gratuitos oferecidos pelo CTMO – Centro de Treinamento de Mão de Obra “Altino Regiani”, Fundo Social de Solidariedade e Secretaria Municipal de Assistência Social.

“O município de Votuporanga tem se transformado em uma cidade cada vez mais atrativa em diversos setores. O trabalho de articulação para captar novas empresas e os incentivos oferecidos objetivando o fortalecimento e crescimento das empresas já estabelecidas na cidade vêm se mostrando eficiente e os resultados já são facilmente notórios. Só nos últimos três anos foram gerados 4.103 novos empregos com carteira assinada no município, segundo dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego”, destaca a assessoria da prefeitura de Votuporanga.

Em 2011 foram criadas 1.271 novas vagas de trabalho. Entre os setores que mais contrataram estão Serviços, com 461 vagas, Comércio, com 409, e Indústria, com 255 novos empregos formais. Mediante isso, é necessário que a cidade também esteja preparada para capacitar os profissionais e neste quesito Votuporanga também oferece inúmeras oportunidades, desde o ensino técnico até as especializações.

“A ampla rede de qualificação conta ainda com instituições em várias áreas, entre elas rural, industrial, administrativa, de serviços, comércio e outras. Podem ser citadas a APTA – Pólo Regional do Noroeste Paulista, CATI – Coordenadoria de Assistência Técnica Integral, Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, ETEC Frei Arnaldo Maria de Itaporanga, IFSP – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, FUVEC/CEMAD, Senai, Sebrae, Senac, Espaço Empresarial, CTMO – Centro de Treinamento de Mão de Obra “Altino Regiani”, Unifev, Futura e uma extensa rede de escolas, sem contar os cursos ministrados frequentemente por parcerias da Prefeitura com os governos Estadual e Federal”, conclui a assessoria.

Taxa de desemprego no país em maio permanece estável em 5,8%

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego no Brasil, no mês de maio ficou em 5,8%, mesmo índice registrado em abril. Em comparação a maio de 2012 (5,8%), a taxa também não apresentou variação.

Já o rendimento médio real teve uma queda de 0,3% em relação a abril, recuando de R$ 1.869,87 para R$ 1.863,60. Na comparação com o ano passado, o rendimento subiu 1,4% – em maio de 2012, o valor era R$ 1.838,20.

Nas seis regiões metropolitanas pesquisadas – Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre – não houve variação na taxa de desocupação na comparação maio-abril. Na análise anual (maio/2012 com maio/2011), a taxa também permaneceu estável com exceção da capital mineira que registrou índice de 5,1% em 2012 e 4,3% neste ano.

As taxas de desocupação nas regiões pesquisadas são: Porto Alegre (3,9%), Belo Horizonte (4,3%), Rio de Janeiro (5,2%), Recife (6,1%), São Paulo (6,3%) e Salvador (8,4%).

A massa de rendimento real dos ocupados também foi considerada estável, passando de R$ 43,2 bilhões em abril para R$ 43,3 bilhões em maio. Comparada à massa de maio de 2012, houve crescimento de 1,5%.

Por Isabela Jardinetti

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password