Publicado: qui, set 5th, 2013

Sem-terras devem desocupar área até domingo

Líderes e membros do movimento sem terra, que ocupam a estrada rural entre os municípios de Cosmorama e Sebastianópolis do Sul, estiveram reunidos na tarde de ontem no Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania de Votuporanga a fim de resolverem um impasse entre prefeito de Cosmorama, Claudinei Monteiro Gil, e membros do MST.
A reunião envolvendo as duas partes durou mais duas horas e meia e terminou sem um acordo. “Nada foi resolvido, vamos retornar ao acampamento hoje e decidir o que será feito. Estamos aguardando uma liminar para derrubar a ordem de nossa retirada”, comentou o líder do movimento local, José Roberto Coutinho, o Lula, 52 anos, antes de deixar o local.
O pedido de desocupação foi movido pela Prefeitura de Cosmorama, em face à ocupação da estrada. Por se tratar de área pública, não pode ser ocupada. A Polícia Militar esteve presente para prestar apoio e manter a ordem, nenhum incidente foi registrado.

Ordem judicial
No último dia 29, oficiais de Justiça e a Polícia Militar estiveram com uma oficial de Justiça no local para cumprir a medida. De barraco em barraco, uma notificação foi entregue informando que o Juiz da Primeira Vara de Tanabi concedeu liminar de reintegração de posse, em favor do município de Cosmorama.
Ficou acordado que os sem-terra terão até domingo, 8/9, para desocupar a área. O advogado Marcus Antônio Gianezi, que defende os integrantes do movimento disse que tenta uma liminar para prorrogar o prazo da retirada.
“Ontem (terça-feira) protocolei uma liminar para prorrogação do prazo, afim de evitar um conflito e assim vermos qual a melhor solução para os assentados”
De acordo com a notificação, todos os ocupantes deverão deixar o local e retirarem os pertences de forma voluntaria. Caso a ordem não seja obedecida, haverá intervenção da Polícia Militar.
Sobre o encontro de ontem, no Centro Judiciário, Gianezi explicou que o grupo sentiu que, com a ordem de retirada gerou danos de ordem moral. “Eles entenderam que tiveram o direito violado e gerou danos de ordem moral. Então foi solicitado indenizações, mas o prefeito não esboçou qualquer tipo de reação”.

Acampamento
Criado em maio com 600 pessoas, o acampamento já é o maior do Estado, segundo o Incra.  São 3 mil acampados, segundo os líderes, espalhados em barracas de lona ao longo de 20 quilômetros da estrada de terra que liga Cosmorama a Sebastianópolis do Sul. Alex Pelicer / A Cidade

alex@acidadevotuporanga.com.br