Publicado: qui, mai 17th, 2018

Jovem é detido por guardar imagens pornô envolvendo crianças

A Polícia Civil paulista deflagrou, desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (17) a execução de 578 mandados de busca e apreensão, além de prisão domiciliar, expedidos pela Justiça.

A ofensiva foi batizada de “Luz da Infância 2”, está sendo realizada em vários estados do Brasil. Em Rio Preto um homem de 24 foi detido no Jardim Paulista por esconder em pastas de computador conteúdo pornográfico envolvendo crianças.

“Levantamento de inteligência, juiz autorizou a entrada e verificação do material, indivíduo que mexe com esse tipo de conteúdo acessa o sub-mundo da internet, precisa ter alto conhecimento para atuar a exemplo esse rapaz que foi preso”. Conta o delegado operacional, Paulo Grecco, do Grupo de Operações Especiais (GOE).

Segundo a polícia, a investigação ao longo de meses mostrou através de métodos de rastreio, que o jovem preso na zona Leste da cidade acessava e guardava em discos moveis de armazenamento de dados (pen drives e computadores) imagens de cunho sexual envolvendo crianças.

MAIOR OPERAÇÃO

“Ele foi autuado em flagrante com base no Estatuto da Criança e Adolescentes (ECA) e trazido para Delegacia Defesa Mulher (DDM), até o momento só existe a prova dele apenas baixado e arquivado essas fotos, vai ser arbitrado fiança no valor de R$ 3 mil”. Completa o delegado Greco. Fora o rapaz que foi detido no âmbito da ação policial apenas um mandado de busca e apreensão de objetos foi cumprido em Rio Preto.

A Força Tarefa é considerada pelas autoridades a maior historicamente já realizada duas vezes pela Polícia Civil, desencadeada nacionalmente de repressão a pornografia infantil. Primeira ocorreu em outubro de 2017 com 108 pessoas presas 25 delas no Estado.

Estão mobilizados 2,6 mil agentes civis em 24 estados do país, 250 policiais do estado de São Paulo divididos em equipes técnicas e operacionais, estão empenhados na missão de cumprir 166 mandados de busca, sendo 55 deles a serem cumpridos na capital, 40 na região metropolitana e 71 em cidades do interior paulista.

A Secretária Nacional de Segurança Pública (SENASP) é o órgão federal responsável pela coordenação dos trabalhos. Até o fechamento desta notícia 52 pessoas já haviam sido em diversas municípios paulistas.