Publicado: qua, nov 8th, 2017

Artesão recebe carteira da SUTACO

Com o documento, o votuporanguense Brasilino José Curti se tornou um profissional do Artesanato e suas peças ganham maior valor, podendo ser vendidas para empresas públicas e privadas

O artesão votuporanguense Brasilino José Curti recebeu das mãos do secretário do Desenvolvimento Econômico, Flávio Piacenti sua Carteira da SUTACO – Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades, órgão que integra a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado de São Paulo.

“Com o documento, o artesão está oficialmente identificado como profissional do Artesanato, o que lhe dá acesso aos serviços prestados pela SUTACO, o que pode lhe abrir as portas para ampliação de mercado e poder auferir mais renda, através do seu talento e criatividade”, comenta Piacenti.

O secretário assinala que o artesão amparado pela SUTACO, “pode participar de cursos de qualificação e requalificação (como aluno ou mesmo como professor), de oficinas de aperfeiçoamento e de novas técnicas, além de ter acesso ao microcrédito (Banco do Povo); como também ter acesso a orientação técnica e jurídica, participar de exposições e vender seus produtos em todo o estado, tanto para empresas públicas e privadas quanto em pontos-de-venda permanentes, como mercados, feiras, shoppings e eventos”.

Também presente na entrega, José Carlos Leme de Oliveira, diretor do CTMO – Centro de Treinamento de Mão de Obra “Altino Regiani”, explica que “para solicitar sua carteira, os artesãos devem procurar o CTMO, que é o agente de cooperação da SUTACO, em Votuporanga, quando terão todas as informações necessárias e o passo a passo para tornar-se um profissional do Artesanato, reconhecido em todo o País”. O artesão Brasilino José Curti cria peças de decoração e imagens sacras, utilizando como matéria prima o cimento, areia grossa, ferro, madeira e tinta, dentro das técnicas de moldagem, pintura e torção.

A SUTACO tem como missão viabilizar, preservar, incrementar e promover o Artesanato Paulista contribuindo para o desenvolvimento local de modo economicamente viável, socialmente justo e ambientalmente responsável.  Também é sua missão resgatar as formas tradicionais de expressão do Povo Paulista, o “saber fazer” de pessoas e comunidades das mais diversas características. Contribui para a geração de renda e inclusão econômica das Artesãs e Artesãos Paulistas no mercado.