Publicado: sáb, ago 12th, 2017

ÍNDICE FIRJAN: Votuporanga sobe em ranking de gestão

Votuporanga sobe em ranking de gestão

Cidade saiu da 29ª colocação em 2015 para o 25º lugar no ano passado; resultados são referentes à administração de Junior Marão

 

Votuporanga subiu quatro posições no ranking estadual do Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) no ano de 2016. A cidade saiu da 29ª posição do levantamento realizado em 2015 para o 25º lugar na pesquisa promovida no ano passado, ou seja, os resultados são referentes à administração de Junior Marão.

O IFGF mede uma série de indicadores dos municípios brasileiros, tais como: Receita Própria, Gastos com Pessoal, Investimentos, Liquidez e Custo da Dívida. A cada um dos indicadores é dado um conceito que varia de A, considerado gestão de excelência, para cidades com notas superiores a 0,8 pontos; B que significa boa gestão de cidades com notas entre 0,6 e 0,8 pontos; C que corresponde à gestão em dificuldades e engloba cidades com notas entre 0,4 e 0,6; e ainda D que é o conceito atribuído a cidades com gestão crítica em notas inferiores a 0,4.
Votuporanga, por mais um ano consecutivo, ficou entre as cidades com boa gestão. O município obteve conceito A em Receita Própria; B em IFGV, Gastos com Pessoal e Custo da Dívida; e finalmente, conceito C em Investimentos e Liquidez.

O índice de Votuporanga (0,6718) foi acima da média dos municípios estaduais (0,4595). Com relação à Receita Própria, o desempenho foi ainda melhor: 0,8224 contra 0,3752.

No quesito Gastos com Pessoal, a média estadual foi de 0,5508, enquanto que a nota de Votuporanga foi 0,7526. O município conquistou ainda 0,5116 em Investimento, contra 0,3490 da maioria das cidades paulistas.

Com relação à Liquidez, Votuporanga bateu a média novamente: 0,5582 frente aos 0,3958 dos demais municípios. Porém, quando o assunto foi Custo da Dívida, Votuporanga obteve índice de 0,7675, menor que a média paulista, que foi de 0,8359.

O objetivo do estudo é avaliar como são administrados os tributos pagos pela sociedade, já que as prefeituras são responsáveis por administrar um quarto da carga tributária brasileira, ou seja, mais de R$ 461 bilhões, um montante que supera o orçamento do setor público da Argentina e do Uruguai somados, conforme explica a Firjan.

 

Ranking Nacional

Quando considerado o ranking nacional, Votuporanga caiu 22 posições — de 195º em 2015 para 217ª em 2016. No Índice Geral, perdeu 100 pontos. Entretanto, conforme observado pelo levantamento, a tendência geral foi de queda, em face da conjuntura econômica do país.

No geral, o Estado de São Paulo ficou abaixo da média nacional. O acúmulo de restos a pagar e os baixos investimentos foram os principais responsáveis por essa queda que colocou São Paulo em uma posição desfavorável à média do país. O percentual de prefeituras do estado com avaliação positiva no IFGF é de 10,6%, índice inferior à proporção nacional, de 14,1%. O IFGF médio das cidades paulistas foi de 0,4595 ponto, 1,3% abaixo da média brasileira, que foi de 0,4655.

Evolução

2016 – 217º Ranking Nacional – 25º Ranking Estadual

2015 – 195º Ranking Nacional – 29º Ranking Estadual

2014 – 462º Ranking Nacional – 72º Ranking Estadual

 

IFGF dos últimos 10 anos

2016 – 0.6718

2015 – 0.6818

2014 – 0.6576

2013 – 0.6856

2012 – 0.7172

2011 – 0.7197

2010 – 0.7877

2009 – 0.7709

2008 – 0.8164

2007 – 0.771

2006 – 0.7146