Publicado: ter, mai 2nd, 2017

DR. CHAUDES: Família: a base de tudo

A definição de família – é um agrupamento humano formado por indivíduos com ancestrais em comum e/ou ligados por laços afetivos e que, geralmente, vivem numa mesma casa. Constitui uma das unidades básicas da sociedade.

Desde pequeno eu procuro manter um profundo respeito pela família e a considero como única instituição capaz de provocar a mudança que queremos ver no mundo. Penso que educação, trabalho, religião e ciência podem contribuir bastante, mas a família sempre foi e sempre será a base de tudo. Da família vêm os exemplos, a índole, os princípios, os valores, as virtudes, o espírito de equipe, a certeza da acolhida em tempos difíceis, a esperança no futuro, com base em união, reciprocidade e laços puramente afetivos.

Em tempos de competição desenfreada, culto extremo à individualidade e adoção de valores completamente equivocados, a família acaba sendo relegada a um plano inferior, de menor importância, tudo em nome do sucesso, do lucro e da acumulação de bens a qualquer preço. Grande parte das pessoas dá a importância devida à família somente quando perde a sua ou então, em casos extremos, quando precisa voltar para ela, a exemplo do filho pródigo, com uma mão na frente e outra atrás.

O equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é a chave para o bem-estar do ser humano. Quando você prioriza ou desequilibra qualquer um dos lados, o outro sofre as consequências. O preço a ser pago para a conquista da fama e do dinheiro tende a ser alto demais, razão pela quais muitas pessoas que dizem que amam seus filhos, seus cônjuges e seus entes mais queridos, têm dificuldades de demonstrá-lo na prática.

Na família você espera encontrar o apoio para seu cansaço, as respostas para suas duvidas, o afeto para suas dores, existem famílias que não fornecem esse verdadeiro sentido, pois fazem do seu convívio, uma exposição de cobranças, transformam o núcleo familiar em um núcleo de negócios, discutem sobre relações econômicas, acumulo de dinheiro, heranças e divisões financeiras, e esquecem-se de viver e conviver com o verdadeiro e mais puro amor que Deus inseriu neste mundo de tribulações.

Nos dias de hoje você encontrar pessoas passando por cima das outras enfocando apenas o ter, a cada dia mais sem perceber se estará ou não magoando algum membro da sua família, as pessoas esquecem do ser.

Hoje é fácil você perceber as fendas familiares causadas pelo poder e pelo dinheiro, por disputada de ser mais e ter mais, da competição entre irmãos, e até entre mães e filhos, o verdadeiro sentido da proteção materna, do acolhimento familiar está perdido, neste mundo que visa essa competição e o dinheiro como centro do poder.

Família ou Trabalho? De modo particular, sou mais pela família, afinal, para onde você corre quando o mundo desaba e as coisas não saem à sua maneira? Quando você prioriza a família, não precisa se preocupar com isso e ao optar pelo equilíbrio, em vez da ambição desmedida, é possível pensar e respirar tranquilamente em ambos os lados;

Pare de arranjar desculpas: o ser humano atual encontra desculpas para tudo. Dentro do possível, encontre tempo em vez de desculpas e não perca a oportunidade de almoçar em casa com a família. Almoçar com os amigos de trabalho é bom, porém as chances de fazê-lo são bem maiores do que com a família. De vez em quando, surpreenda a família, chegue mais cedo, leve-a para jantar fora, vá ao cinema, passe no supermercado e apanhe alguns petiscos, faça qualquer coisa para evitar que o diálogo e a alegria do convívio esfriem;

Por fim, lembre-se: a menos que você a tenha constituído sob pressão ou por conveniência, a família é que você faz dela, um instrumento de valorização ou instrumento de manipulação da sua vontade. Talvez por isso, em 1930, Bertrand Russell, filósofo inglês, declarou que “o fracasso da família em prover satisfação e prazer é uma das principais causas de insatisfação do mundo moderno”.

De acordo com John Dewey, filósofo e pedagogo norte-americano, “você é aquilo que mais valoriza na vida, você é aquilo pelo que está disposto a morrer.”