Publicado: seg, fev 20th, 2017

WhatsApp se transforma em nova ‘arma’ do Facebook contra Snapchat

O aplicativo de mensagens WhatsApp lança nesta segunda-feira, 20, uma nova atualização que transforma o aplicativo em um novo concorrente direto para o aplicativo de mensagens efêmeras Snapchat. A partir de agora, usuários do mensageiro poderão enviar fotos, vídeos e GIFs para que sejam vistos por contatos por até 24 horas. Após o período, o conteúdo desaparece — recurso idêntico ao do Snapchat Stories.

 

“Com o passar do tempo, o WhatsApp deixou de ser apenas um aplicativo de texto e, hoje, se tornou um aplicativo multimídia”, afirma o desenvolvedor de produtos do WhatsApp, Randall Saraffa, em entrevista exclusiva ao Estado. “Esta é uma transformação natural, já que os usuários estão dando cada vez mais atenção para a foto e, principalmente, para o vídeo.”

 

O principal foco da atualização é a ferramenta Status, que ganha uma aba exclusiva que ocupa o espaço hoje ocupado pelos contatos. Nela, é possível ver fotos e vídeos enviados pelos contatos — basta tocar na foto do usuário para assistir. Além disso, uma nova aba de câmera foi adicionada à tela inicial, permitindo que usuários tirem fotos e gravem vídeos rapidamente para enviar à aba “Status” ou diretamente aos seus contatos.

 

 

 

Os usuários ainda poderão editar a imagem no próprio WhatsApp, incluindo ilustrações, emojis, desenhos e outras figuras. Ainda será possível responder as imagens — como é feito, atualmente, nas mensagens de texto trocadas no app. Basta clicar na foto e em “Responder” para iniciar uma conversa com o contato.

 

Por enquanto, a atualização está disponível apenas para usuários da Holanda e França. Ainda nesta semana, Reino Unido, Espanha, Itália, Israel e Arábia Saudita também receberão a atualização. Demais países — incluindo Brasil — deverão receber o recurso do WhatsApp Status em breve.

 

Disputa. A briga entre Facebook  — que controla o aplicativo WhatsApp — e Snapchat não é nova. No final de 2013, a empresa de Mark Zuckerberg tentou comprar o app de mensagens efêmeras, mas teve suas ofertas recusadas. A partir daí, o Facebook começou uma “cruzada” contra o Snapchat, copiando os principais recursos do rival. Entre os movimentos mais significativos, está o lançamento do Instagram Stories, em agosto de 2016, e o lançamento do aplicativo Flash no Brasil, em novembro do ano passado.

 

Questionado sobre a semelhança com o Snapchat, que deve abrir capital ainda em março e que começa nesta segunda sua apresentação em Londres, Saraffa desconversa. “As pessoas estão enviando e recebendo mais vídeos no WhatsApp. É natural que a gente empregue recursos como esses”, afirma. Segundo ele, a adoção de um recurso similar no WhatsApp não vai gerar uma “guerra” entre os aplicativos de propriedade do Facebook. “Cada um dos recursos contam com diferenciais e características inerentes ao serviço que o possui”, afirma Saraffa. “Não vai haver disputa.”

 

Certeiro. O Facebook pode ter apostado em acrescentar os novos recursos ao WhatsApp, pois o aplicativo pode ser mais “certeiro” que o Instagram para desbancar o Snapchat. O aplicativo de fotos e vídeos efêmeros tem, atualmente, 158 milhões de usuários; o Instagram tem 600 milhões de usuários, enquanto o WhatsApp reúne mais de um bilhão de pessoas. Se conseguir emplacar a nova função em um aplicativo tão popular, o Facebook pode frear a adesão ao Snapchat.

 

“É uma guerra entre empresas para decidir quem vai mandar no mercado de aplicativos de mensagens efêmeras”, afirma o analista da consultoria Nielsen, José Calazans. “Também há o fator da publicidade. Até hoje, o WhatsApp não era um serviço rentável. Ao apostar nas mensagens efêmeras, o Facebook pode encontrar um meio de ganhar dinheiro com anúncios ou outros serviços.”

Procurados pelo Estado sobre a semelhança de recursos, Facebook e Snapchat preferiram não se posicionar.

 

 

Estadão