Publicado: qua, dez 28th, 2016

Mais uma cidade entra em alerta contra febre amarela

Um macaco foi encontrado morto na área urbana de Fernandópolis e exames confirmaram que a causa foi febre amarela. É a primeira morte registrada em zona urbana na região. Outros 14 macacos morreram na zona rural de nove cidades da região, inclusive em Rio Preto.

Atualmente, há pelo menos 70 macacos com óbito sendo investigado. A doença já foi confirmada em primatas mortos em Rio Preto, Adolfo, Catiguá, Cajobi, Catanduva, Fernandópolis, Ibirá, Pindorama, Potirendaba e Severínia. Um homem morreu em Bady Bassitt, em abril, após ter sido contaminado.

Em todos os casos, as mortes foram causadas pelo vírus silvestre e transmitidas pelo mosquito Haemagogus. Desde a década de 1960 a doença não é transmitida pelo Aedes aegypti. Quem não estiver com a vacinação em dia deve procurar a unidade de saúde mais próxima em sua cidade e se imunizar.

Em Fernandópolis, o animal foi encontrado no dia 8 de dezembro, entre o Asilo São Vicente de Paulo e o salão Recanto do Tamburi. Ele foi avaliado pelo Instituto Adolfo Lutz.

Em nota, a Prefeitura da cidade informou que iniciou nesta terça-feira, 27, uma campanha de vacinação contra a doença. Segundo o texto, os moradores da região onde o animal estava receberão a visita de enfermeiros em casa, e aqueles que não forem encontrados devem procurar a unidade de saúde de seu bairro.

A Central de Saúde funcionará em horário especial nesta terça e quarta-feira, até as 21h, para avaliação das carteiras de vacinação.

A Vigilância Epidemiológica do município orienta os moradores a ficarem atentos aos sinais da doença: febre alta, calafrios, dor de cabeça forte, mialgia (dor muscular), fraqueza, náusea e vômito, durante cerca de três dias e icterícia (corpo amarelado). Quem apresentar qualquer um desses sintomas deve procurar atendimento médico imediatamente.

Em caso de macaco encontrado morto, a Vigilância Epidemiológica precisa ser comunicada imediatamente pelo telefone (17) 3442-6809.

diarioweb.com.br