Publicado: ter, dez 20th, 2016

Vigilância Sanitária capacita dezenas de profissionais do ramo alimentício

Boas Práticas na Manipulação e Distribuição de Alimentos garantem qualidade dos pratos comercializados; profissionais foram qualificados para atender a grande demanda de final de ano

A manipulação de alimentos faz parte da rotina diária de todas as pessoas. Sentar à mesa para tomar o café da manhã, almoçar e jantar, em casa ou no restaurante, manipular os produtos com higiene é fundamental para garantir uma alimentação de qualidade, sem comprometer a saúde. Da preparação dos pratos até o rito da refeição, todo processo pede cuidado no ato de manusear o alimento, seja para consumo próprio ou para venda.

Pensando em orientar e atender as dúvidas de cozinheiras, garçons e proprietários de estabelecimentos do setor alimentício de Votuporanga, a Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde promoveu uma capacitação de Boas Práticas na Manipulação e Distribuição de Alimentos na noite da última segunda-feira (19) no auditório do Senac. O intuito primeiro do treinamento é atualizar e orientar esses profissionais sobre a higiene na preparação daquilo que será servido e ingerido, sobretudo, nas ceias e celebrações de fim de ano.

Com o auditório lotado, a coordenadora da Vigilância Sanitária, Danielli de Abreu Leppos, abordou questões de higiene para a elaboração dos pratos que serão comercializados nas festas. “Reforçar os cuidados no preparo de alimentos também nesta época de festas e confraternizações é importante para esses profissionais. O tempo é curto e a demanda tem sido cada vez maior. São muitos pedidos de encomendas de pratos para a ceia a serem atendidos, mas seguir as normas de higiene e vender um produto de qualidade é um dever do comerciante” – explica Danielli.

Durante o encontro foi discutido todo o processo de produção e distribuição dos alimentos a serem comercializados, transporte adequado, preparação e disponibilização dos produtos. “A propagação de fungos e bactérias pode ocorrer de diversas maneiras e envolve desde o toque no alimento com as mãos sujas, à queda de um brinco e pelos em geral; ou o uso indevido e exagerado de produtos químicos como conservantes e colorantes artificiais” – esclarece Danielli.

Pessoas que cozinham e trabalham nesse ramo devem seguir à risca as regras básicas de higiene, mantendo plena atenção e cautela na preparação dos alimentos para que não ocorra contaminação da comida a ser servida ao consumidor. “Doenças e intoxicações graves podem acometer o consumidor que ingerir produtos manipulados de forma errada. A higienização pessoal, como manter cabelos protegidos; unhas limpas, curtas e sem esmalte; lavar as mãos corretamente e constantemente são alguns dos procedimentos adotados na rotina de trabalho dos profissionais”, afirma a diretora de Vigilância em Saúde – Maria do Rosário Davanço Moretto.

Os participantes da capacitação serão certificados pela Vigilância. O curso é gratuito, obrigatório e realizado frequentemente pela Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância Sanitária Municipal. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3405-9787.