Publicado: qua, out 26th, 2016

Marcia Tiburi e Noemi Jaffe participam de bate-papo nesta quinta-feira

Escritoras se reúnem às 19h30, no Cinema Cultural, e conversam com o público sobre o tema “Ficção da Vida”

Dois importantes nomes da literatura brasileira contemporânea se encontram nesta quinta-feira (27/10), durante a programação da 6ª edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga, que acontece até o dia 29 de outubro, no Parque da Cultura, com atividades totalmente gratuitas e abertas a todos os públicos.

As escritoras Marcia Tiburi e Noemi Jaffe se reúnem às 19h30, no Cinema Cultural do Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali" para o bate-papo “Ficção da Vida”. A principal questão abordada pelas autoras durante a conversa com o público será “como a literatura se origina da vida, do cotidiano, da história, do imaginário e se transforma numa poderosa ferramenta lúdica e crítica, que nos torna mais conscientes e melhores como sujeitos?”.

Marcia Tiburi é graduada em filosofia e artes. Colunista da Revista Cult e ex-apresentadora do programa “Saia Justa”, do GNT, é autora de ensaios filosóficos, como “Filosofia em Comum”, “Olho de Vidro” e “Como Conversar com um Fascista”. Em 2016, está lançando seu quinto romance, “Uma Fuga Perfeita É Sem Volta”.

Escritora, professora e crítica literária, Noemi Jaffe oferece cursos de escrita criativa em diversas instituições. Desde 2006, é colaboradora dos jornais “Folha de S. Paulo” e “Valor Econômico” e vem participando como jurada de concursos literários, como o Prêmio Oceanos, um dos mais importantes do país. Noemi é autora de “O Que os Cegos Estão Sonhando”, “Livro dos Começos” e “Írisz: as Orquídeas”, entre outros títulos.

Quinta-feira no FLIV

Além do bate-papo com as autoras Marcia Tiburi e Noemi Jaffe, o FLIV também recebe, nesta quinta-feira (27/10), às 21h, no palco principal do Parque da Cultura, o espetáculo musical “Palavra de Mulher”, que integra o Circuito SESCOOP/SP de Cultura. No show, Célia, Tania Alves e Virgínia Rosa (substituída por Aretha Marcos em algumas apresentações) dividem o palco e dão vida a algumas das imortais personagens femininas da obra de Chico Buarque. As atrizes emprestam voz, corpo e sentimentos a muitas outras mulheres, reveladas em algumas das mais belas canções do compositor, tais como “Tatuagem”, “O Meu Amor”, “Folhetim” e “Atrás da Porta”.

A partir desta quinta-feira, o FLIV também conta com a presença do projeto educacional “Elektro nas Escolas”. Até o dia 28 de outubro, o projeto leva à comunidade escolar uma série de informações sobre os processos de geração, transmissão, distribuição e o bom uso da energia elétrica, proporcionando aos alunos experiências lúdicas e interativas. Além das atividades desenvolvidas no interior de uma Unidade Móvel de Ensino, haverá também a apresentação do teatro de fantoches “A Jovem Escritora”, que busca reforçar os conceitos transmitidos pelo “Elektro nas Escolas” de forma simples e divertida. As sessões do projeto tem duração de aproximadamente 30 minutos e acontecem no período da manhã, das 7h30 às 11h30, e durante a tarde, das 13h às 17h.

Já às 14h, o Cinema Cultural do Centro de Informações Culturais e Turísticas recebe um bate-papo com os escritores Marcelo Maluf e Rafael Gallo, vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura 2016, na categoria “Melhores Livros do Ano – Escritores Estreantes”.

A literatura continua em pauta às 16h, no auditório externo, com bate-papo e pocket show do cantor, compositor, violinista, escritor e poeta Reynaldo Bessa. Além de conversar com o público a respeito da importância da literatura e a escrita como seu reflexo, o autor apresenta canções próprias e também algumas interpretações da música brasileira. Durante a atração, Bessa também realiza o lançamento de seu novo romance, “Na Última Lona”, publicado pela editora Penalux.

Às 17h, é a vez do projeto Negra Margem ocupar o auditório externo e apresentar fragmentos da múltipla perspectiva da poesia, pela voz de mulheres negras. Com sarau, diálogos e reflexões, Anna Claudia Magalhães e Mayara Ísis referenciam e reverenciam autoras como Carolina Maria de Jesus, Elisa Lucinda, Conceição Evaristo e Elizandra Souza.